Mulher pra Casar e Mulher pra Transar?

mulher_pra_casar_mulher_pra_transar

Tá. Você chegou até aqui porque ficou incomodado com o título, e já foi pensando, lá vem esse tal de Chico falando merda com mais um texto categorizando as mulheres em putas e santas. Seja bem-vindo. Significa que a primeira parte do processo deu certo, que era fazer você chegar até aqui.

Então vamos focar na questão principal: Existe mulher pra casar e mulher pra comer? É lógico que existe. Mas não do jeito que você está pensando.

Aquela gata que você pegou num beco em um carnaval qualquer anos atrás, que levou a uma transa rapidinha encostados em um carro, hoje possivelmente está muito bem casada e agora direciona todo aquele arsenal sexual do carnaval para um único indivíduo, com base nas regras monogâmicas da nossa sociedade (sabemos que pode haver variações, mas não é o foco desse texto). No carnaval ela estava no modo transar e agora está no modo casar. Simples assim. Em um momento, uma mulher mega interessante decidiu que queria curtir a vida, se jogar em um carnaval de rua e transar com um desconhecido sem se preocupar com muita coisa e em outro momento, a mesma mulher interessante, resolveu focar em ter uma vida mais regrada e focada em uma relação padrão aos olhos da sociedade, e mantendo todo o repertório sexual que aprendeu durante a vida.

Olhe ao redor

Talvez essa desconhecida que está tomando banho no seu apt enquanto você lê esse texto, seja uma transa perfeita, que faz e acontece na cama, independente, descolada, piercing no mamilo, mas neste momento, ela seria uma péssima esposa. Por que? Porque ela não quer ser. Porque assim como você, ela está no modo “passar o rodo”. Ela está curtindo a vida e querendo colocar em prática um arsenal de atributos sexuais para se sentir bem, por motivos que só cabem a ela. Ela não quer juntar as escovas com você, vendo que existem outras opções e que ainda tem uma série de coisas pra viver antes de dizer sim para uma entidade e assinar papéis que criam um vínculo mais definitivo.

Da mesma forma, aquela moça educada do escritório no final do corredor, que não dá a mínima abertura para ninguém, que é dona de si, culta, e [insira aqui uma série de clichês e estereótipos de bela recatada e do lar], por algum motivo, o seu cérebro já julgou que seria uma esposa e tanto, ou que o marido dela deve ser um cara de sorte.

giphy (12)

Arranque o rótulo e curta a vida

Tem muito homem que nessas horas acaba caindo na regra dos estereótipos e não observa a mulher por completo. Não pensa em quais misérias ela é capaz de fazer na cama, ou se ela tem um piercing no mamilo e se enviou um nude para alguém quando foi ao banheiro.

É amigo. Essa história de pensar em estereótipos, da ninfeta máquina de sexo, e a bela recatada e do lar é a maior merda que você pode cometer, e que vai fazer você perder a mulher da sua vida.

O seu desafio é encontrar a mulher que está no momento certo para o que combina com o seu momento, e perceber que aquela moça da transa rapidinha do carnaval, pode ser a mulher da sua vida alguns minutos depois, se o seu amigo estereótipo não atrapalhar te atrapalhar.

Chico Rocha

Acha que nasceu na época errada, ganha a vida ensinando, coloca feijão no prato antes do arroz e segundo algumas mulheres, não presta.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *